quinta-feira, 21 de junho de 2018

Súmulas da Copa do Mundo de 2018 e Opiniões Pessoais

Boa noite a todos.

Estou liberando a vocês as súmulas dos jogos de hoje da Copa do Mundo e minhas opiniões pessoais.

Vamos a elas.


Dinamarca 1 x 1 Austrália
Estádio: Arena Samara, em Samara (Rússia)
Árbitro: Antonio Mateu (Espanha)
Gols: Christian Eriksen (DIN); Mile Jedinak (AUS)
Cartões amarelos: Poulsen e Sisto (DIN)
Dinamarca: Kasper Schmeichel; Henrik Dalsgaard, Simon Kjaer, Andreas Christensen e Jens Stryger Larsen; Lasse Schöne, Thomas Delaney e Christian Eriksen; Yussuf Poulsen (Martin Braithwaite), Pione Sisto e Nicolai Jörgensen (Andreas Cornelius). Técnico: Aage Hareide. 
Austrália: Mathew Ryan; Joshua Risdon, Trent Sainsbury, Mark Miligan e Aziz Behich; Mile Jedinak, Aaron Mooy, Matthew Leckie, Tom Rogic (Jackson Irvine) e Robbie Kruse (Daniel Arzani); Andrew Nabbout (Tomi Juric). Técnico: Bert van Marwijk. 

Opinião: Um jogo bastante movimentado. A Dinamarca mostrou bom volume de jogo e saiu na frente com um belo gol de Eriksen pegando de primeira na entrada da área, porem os australianos não se intimidaram e conseguiram o empate num pênalti dado pelo árbitro de vídeo que Jedinak bateu e marcou. Os australianos dominaram o segundo tempo e melhoraram ainda mais depois da entrada de Arzani que infernizou os dinamarqueses com suas jogadas. Mereceram o empate e por muito pouco não saíram com uma vitória. Resultado justo.

Nota do Jogo: 8   

França 1×0 Peru
Estádio: Arena Ecaterimburgo, em Ecaterimburgo (Rússia)
Árbitro: Mohamed Abdulla Mohammed (Emirados Árabes)
Gols: Mbappé aos 34’/1T (França)
Cartões amarelos: Matuidi, Pogba (França), Guerrero, Aquino (Peru)
França
Hugo Lloris; Benjamin Pavard, Raphaël Varane, Samuel Umtiti e Lucas Hernández; N’Golo Kanté, Blaise Matuidi e Paul Pogba (Steven N’Zonzi aos 44’/2T); Kylian Mbappé (Ousmane Deméblé aos30’/2T), Antoine Griezmann (Nabil Fekir aos 35’/2T) e Olivier Giroud. Técnico: Didier Deschamps
Peru
Pedro Gallese; Luis Adínvula, Christian Ramos, Alberto Rodríguez (Ânderson Santamaria, intervalo) e Miguel Trauco; Pedro Aquino, Yoshimar Yotún (Jeferson Farfán, intervalo), André Carrilo, Christian Cueva (Raúl Ruidiaz aos37’/2T) e Edison Flores; Paolo Guerrero. Técnico: Ricardo Gareca
Opinião: Um jogo relativamente tranquilo para a França. Apesar da pressão inicial peruana, o time francês não esmoreceu e com a participação decisiva de Pogba na jogada que terminou no gol de Mbappé, mereceu a vitória e a classificação para a próxima fase. O Peru acertou apenas uma bola na trave e nada mais. Não merecia mesmo sorte melhor.

Nota do Jogo: 7   

Argentina 0 x 3 Croácia
Local: Estádio Nizhny Novgorod, em Ninhny (Rússia)
Árbitro: Ravshan Irmatov (Uzbequistão)
Gols: Ante Rebic, Luka Modric e Rakitic (Croácia)
Cartões amarelos: Mercado, Otamendi e Acuña (ARG); Rebic, Mandzukic, Vrsaljko e Brozovic (CRO)
Argentina: Caballero; Gabriel Mercado, Nicolás Otamendi e Nicolás Tagliafico; Eduardo Salvio (Pavón), Javier Mascherano, Enzo Pérez (Dybala) e Marcos Acuña; Lionel Messi, Sergio Agüero (Higuaín) e Maximiliano Meza. Técnico: Jorge Sampaoli
Croácia: Danijel Subasic; Sime Vrsaljko, Dejan Lovren, Domagoj Vida e Ivan Strinic; Marcelo Brozovic, Ivan Rakitic e Luka Modric; Ante Rebic (Kramaric), Ivan Perisic (Kovacic) e Mario Mandzukic (Vedran Corluka). Técnico: Zlatko Dalic

Opinião: Uma noite de terror para os argentinos e de sonho para os croatas. Quem viu o primeiro tempo, não parecia que essa partida terminaria com um placar tão elevado com os argentinos perdendo uma chance de ouro pra abrir o marcador e os croatas defendendo-se o quanto podiam. No entanto, a Argentina era apenas um arremedo de time com Messi em jornada apagadissima. Quando a Croácia percebeu isso, partiu para o ataque e venceu o jogo com justiça. Destaque negativo para o goleiro Caballero que errou várias reposições e falhou bisonhamente no gol de Rebic que esticou a perna a lá Zidane e aproveitou esse belo presente com um golaço. Modric contribuiu com o massacre com um belo gol de fora da área e Rakitic completou o serviço finalizando um contra-ataque só visto em jogos de casados contra solteiros. Com isso, a Croácia classificou-se com méritos e a Argentina precisa de um milagre pra seguir em frente.  Goleada impiedosa que entra para a História das Copas.

Nota do Jogo: 8

Até a próxima, pessoal.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Súmulas da Copa do Mundo de 2018 e Opiniões Pessoais

Boa noite a todos do Só Súmulas.

Estou liberando aqui as fichas técnicas e as minhas análises pessoais da Copa do Mundo de 2018.

Aqui estão elas.


Portugal 1 x 0 Marrocos
Local: Estádio Luzhniki, em Moscou (RUS)
Árbitro: Mark Geiger (EUA)
Gols: Cristiano Ronaldo (POR)
Cartões amarelos: Adrien Silva (POR); Medhi Benatia (MAR)
Cartões vermelhos:
Portugal: Rui Patrício; Cédric, Pepe, José Fonte e Raphaël Guerreiro; William Carvalho, João Moutinho (Adrien Silva), Bernardo Silva (Gelson Martins) e João Mário (Bruno Fernandes); Gonçalo Guedes e Cristiano Ronaldo. Técnico: Fernando Santos
Marrocos: Munir; Nabil Dirar, Medhi Benatia, Manuel da Costa e Achraf Hakimi; Mbark Boussoufa, Karim El Ahmadi (Faycal Fajr), Nordin Amrabat, Younes Belhanda (Mehdi Carcela-Gonzalez) e Hakim Ziyech; Khalid Boutaib (Ayoub Kaabi). Técnico: Hervé Renard

Opinião: Foi um 1 x 0 enganador e que não diz como foi o jogo. Portugal tomou um sufoco do Marrocos do início ao fim e só ganhou por duas coisas: pela incrível incompetência dos marroquinos nas finalizações e porque tem Cristiano Ronaldo em fase estupenda. Ele teve apenas uma chance pra mostrar serviço e esta foi exatamente a que entrou. Uma cabeçada que mudou os rumos do jogo e que acabou com o sonho dos marroquinos de voltarem a passar de fase numa Copa do Mundo. Os portugueses tiveram mais sorte do que juízo.

Nota do Jogo: 7        

                                                    
Uruguai 1×0 Arábia Saudita
Local: Arena Rostov-On-Don, em Rostov-On-Don (RUS)
Árbitro: Clement Danos (FRA)
Gols: Luis Suárez aos 23’/1T (Uruguai)
Cartões amarelos: nenhum
Uruguai
Fernando Muslera; Gustavo Varela, José Giménez, Diego Godín e Martín Cáceres; Carlos Sánchez (Nahitán Nández aos 37’/2T), Matías Vecino (Lucas Torreira aos 14’/2T), Rodrigo Betancur e Cristian Rodríguez (Diego Laxalt aos 14’/2T); Luis Suárez e Edinson Cavani. Técnico: Oscar Tabarez
Arábia Saudita
Mohammed Alowais; Mohammed Alburayk, Osama Hawsawi, Ali Albulayhi e Yasser Al Shahrani; Taiseer Al Jassam (Hussain Al-Mohahwi aos 44’/2T) e Abdullah Otayff; Hatan Bahbri (Mohammed Kanno aos 30’/2T), Salman Al Faraj e Salem Al Dawsari; Fahad Al Muwallad (Mohammed Al Sahlawi aos 33’/2T). Técnico: Juan Antonio Pizzi
Opínião: Foi um 1 x 0 horrível e é um milagre ter saído um gol em uma partida tão tenebrosa. O gol só saiu por uma falha bisonha do goleiro Alowais que saiu caçando borboletas em uma cobrança de escanteio e permitiu a Luís Suarez só tocar para o gol vazio. De resto, um show de mediocridade.  O Uruguai se classificou, é verdade, mas faltou um pouco mais de ambição em conseguir um melhor saldo de gols. Já a Arábia Saudita se tornou novamente o saco de pancadas de um grupo como foi em 2002. Trocando em miúdos, é a pior seleção da Copa, em minha humilde opinião.

Nota do Jogo: 4            

Irã 0x1 Espanha
Local: Arena de Kazan, em Kazan (RUS)
Árbitro: Andrés Cunha (URU)
Gols: Diego Costa aos 9’/2T (Espanha)
Cartões amarelos: Vahid Amiri, Ebrahimi (Irã)
Irã
Alireza Beiranvand; Ramin Rezaeian, Majid Hosseini, Morteza Pouraliganji e Ehsan Haji Safi (Milad Mohammadi aos 24’/2T); Saeid Ezatolahi; Mehdi Taremi, Omid Ebrahimi, Vahid Amiri (Saman Ghoddos aos 41’/2T) e Karim Ansarifard (Alireza Jahanbakhsh aos 29’/2T); Sardar Azmoun. Técnico: Carlos Queiroz
Espanha
David De Gea; Dani Carvajal, Gerard Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Sergio Busquets; Lucas Vázquez (Marco Asensio aos 35’/2T), David Silva, Andrés Iniesta (Koke aos e’/2T) Isco; Diego Costa (Rodrigo Moreno aos 44’/2T). Técnico: Fernando Hierro
Opinião: Foi um 1 x 0 dos mais dramáticos para a Espanha. O Irã saiu-se bem tanto defensiva como ofensivamente e deu muita dor de cabeça pros espanhóis, que fizeram um primeiro tempo superior, mas com um domínio estéril. Fez passes, jogadas e cruzamentos inúteis que só serviram para consagrar a zaga iraniana. No segundo tempo, veio o gol espanhol por pura sorte onde o zagueiro chutou a bola na canela do Diego Costa e ela entrou mansinha para o fundo das redes. Um castigo pros iranianos que tinham perdido uma chance clara de gol segundos antes do gol espanhol. Como desgraça pouca é bobagem, os iranianos conseguiram o gol de empate só para ser anulado pela arbitragem com um impedimento visto pelo árbitro de vídeo.  Um jogo que se não teve tantos lances de perigo, foi bom devido a essa carga de dramaticidade.

Nota do Jogo: 8   


Até a próxima, pessoal.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Súmulas da Copa do Mundo de 2018 e Opiniões Pessoais

Boa noite a todos do Só Súmulas.

Estou liberando a vocês as fichas técnicas e as opiniões pessoais dos jogos de hoje da Copa do Mundo de 2018.

Vamos a elas.

Colômbia 1 x 2 Japão
Estádio: Mordovia Arena, em Saransk (Rússia)
Árbitro: Damir Skomina (Eslovênia)
Gols: Kagawa e Osako (JAP); Quintero (COL)
Cartões amarelos: Wilmar Barríos e James Rodríguez (COL)
Cartão vermelho: Carlos Sánchez
Colômbia: David Ospina; Santiago Arias, Davinson Sánchez, Oscar Murillo e Johan Mojica; Carlos Sánchez, Jefferson Lerma, Juan Cuadrado (Wilmar Barríos), Juan Quintero (James Rodríguez) e José Izquierdo (Carlos Bacca); Falcao García. Técnico: José Pékerman
Japão: Eiji Kawashima; Hiroki Sakai, Maya Yoshida, Gen Shoji e Yuto Nagatomo; Makoto Hasebe, Gaku Shibasaki (Hotaru Yamaguchi), Genki Haraguchi, Shinji Kagawa (Keisuke Honda) e Takashi Inui; Yuya Osako (Shinji Okazaki). Técnico: Akira Nishino

Opinião: O que você faria em três minutos, caro leitor? Três minutos é o tempo onde escrevo um parágrafo de conto ou crônica. E o que isso tem a ver com Colômbia x Japão? A resposta: tudo.
     Uma jogada isolada onde o sistema defensivo colombiano falhou feio, Ospina defendeu o primeiro chute, Kagawa chutou e Carlos Sanchez defendeu o segundo chute a gol japonês.
     Resultado da ópera: pênalti pro Japão, Carlos Sanchez foi expulso e Kagawa não se fez de rogado e abriu o marcador aos cinco minutos de jogo.
     Ali desmontou todo o esquema do time colombiano e pra piorar a situação, Pekerman substituiu errado e o time capengou de vez.
     Ainda assim, os colombianos empataram numa falta cobrada por Quintero com a colaboração do goleiro Kawashima que pulou atrasado no lance e tirou a bola já dentro do gol.
     No segundo tempo, o Japão pressionou a defensiva colombiana com jogadas rápidas e conseguiu o gol da vitória com Osako aproveitando de cabeça uma cobrança de escanteio. Depois foi só cozinhar o jogo e conseguir a primeira vitória de um asiático sobre os sul-americanos na história das Copas. Uma doce vingança japonesa pela goleada de quatro anos atrás sofrida na Arena Pantanal.

Nota do Jogo: 9            

Polônia 1×2 Senegal
Local: Estádio Spartak, em Moscou (RUS)
Árbitro: Yaser Tulefat (BHR)
Gols: Thiago Cionek (contra), N’Baye Niang (Senegal), Grzegorz Krychowiak (Polônia)
Cartões amarelos: Krychowiak (Polônia), Sané, Gueye (Senegal)
Polônia
Wojciech Szczesny; Lukasz Piszczek (Bartosz Bereszynski aos 38’/2T), Thiago Cionek, Michal Pazdan e Maciej Rybus; Grzegorz Krychowiak e Piotr Zielinski; Jakub Blaszczykowski (Jan Bednarek, intervalo), Arkadiusz Milik (Dawid Kownacki aos 28’/2T) e Kamil Grosicki; Robert Lewandowski. Técnico: Adam Nawalka
Senegal
Khadim N’Diaye; Moussa Wagué, Salif Sané, Kalidou Koulibaly e Youssouf Sabaly; Ismaila Sarr, Idrissa Gueye, Alfred N’Diaye e Sadio Mané; N’Baye Niang (Moussa Konaté aos 30’/2T) e Mame Biram Diouf (Cheik N’Doye aos 17’/2T). Técnico: Aliou Cissé
Opinião: Um jogo onde a Polônia foi a adversária que o Senegal pediu a deus. Suas jogadas em velocidade e toques rápidos combinaram perfeitamente com a deficiência polonesa: jogadores lentos e pesados e uma transição burocrática da defesa para o ataque. O primeiro tempo foi apenas de estudos, mas ainda assim o gol saiu numa infelicidade de Thiago Ciolek que tentou cortar um chute de Gueye e fez gol contra.
No segundo tempo, a Polônia tentou reagir mas uma falha grotesca da defesa botou tudo a perder. Krychowiak recuou mal, Bednarek vacilou feio, Szczesny saiu feito vaca louca e Niang, que havia recebido permissão do juiz de voltar a campo, ficou no meio dos dois e deu um toquinho o suficiente pra tirar do goleiro, botar a bola na rede e decretar a vitória senegalesa. O mesmo Krychowiak quase virou herói ao marcar de cabeça no fim do jogo, mas era tarde demais. Venceu quem mostrou mais qualidade.

Nota do Jogo: 8     

Rússia 3 x 1 Egito
Estádio: Estádio de São Petersburgo, em São Petersburgo (Rússia)
Árbitro: Enrique Cáceres (Paraguai)
Gols: Ahmed Fathi, contra, Denys Cheryshev e Artem Dzyuba (RUS); Mohamed Salah (EGI)
Cartões amarelos: Smolov (RUS); Trezeguet (EGI)
Rússia: Igor Akinfeev; Mario Fernandes, Ilya Kutepov, Sergei Ignashevich e Yuri Zhirkov (Fedor Kudryashov); Roman Zobnin, Yuri Gazinskiy, Aleksander Samedov, Aleksandar Golovin e Denis Cheryshev (Daler Kuzyaev); Artem Dzyuba (Fedor Smolov). Técnico: Stanislav Cherchesov
Egito: Mohamed El Shenawy; Ahmed Fathi, Ali Gabr, Ahmed Hegazy e Mohamed Abdel-Shafy; Mohamed Elneny (Amr Warda), Tarek Hamed, Mohamed Salah, Abdalla El Said e Trezeguet (Ramadan Sobhi); Marwan Mohsen (Mahmoud Kahraba). Técnico: Héctor Cúper

Opinião: Houve dois tempos distintos. O primeiro tempo foi fraco e irritante devido ao excesso de passes errados e poucos lances de emoção. O segundo tempo, no entanto, foi bem mais animado e com mais um infeliz gol contra feito por Ahmed Fathi, a porteira se abriu e os russos lavaram a égua mais uma vez. Destaque aqui para Mário Fernandes que fez o cruzamento milimétrico para o gol de Cheryshev e para Ilya Kutepov que fez o lançamento mais milimétrico ainda para o gol de Dzyuba que matou no peito, deixou o marcador sem pai nem mãe e tocou no canto de El Shenawy. O consolo egípcio foi Mohamed Salah, que fez seu golzinho nesta Copa cobrando um pênalti. A Rússia se classificou com méritos para as oitavas-de-final.

Nota do Jogo: 7     

Até a próxima, pessoal.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Sumulas da Copa do Mundo de 2018 e Opiniões Pessoais

Boa noite a todos do Só Súmulas.

Estou liberando aqui a vocês as fichas técnicas e as opiniões pessoais do quinto dia da fase de grupos da Copa do Mundo de 2018.

Vamos a elas.

Suécia 1 x 0 Coreia do Sul
Local: Estádio Nizhny Novgorod, Nizhny Novgorod (RUS)
Árbitro: Joel Aguilar (SLV)
Gols: Andreas Granqvist aos 20’/2T (Suécia)
Cartões amarelos: Viktor Claesson (Suécia), Kim Shin-Wook, Hwang Hee-Chan (Coreia do Sul)
Suécia
Robin Olsen; Mikael Lustig, Pontus Jansson, Andreas Granqvist e Ludwig Augustinsson; Viktor Claessen, Sebastian Larsson (Gustav Svensson aos 36’/2T), Albin Ekdal (Oscar Hijemark aos 26’/2T) e Emil Forsberg; Marcus Berg e Ola Toivonen (Isaac Thelin aos 31’/2T). Técnico: Jan Olof Andersson
Coreia do Sul
Cho Hyun-Woo; Lee Young, Jang Hyun-Soo, Kim Young-Gwon e Park Joo-Ho (Kim Min-Woo aos 28’/1T); Lee Jae-Sung, Ki Sung-yueng e Koo Ja-Cheol (Lee Seung-Woo aos28’/2T); Hwang Hee-Chan, Kim Shin-Wook (JungWoo-Young aos 21’/2T) e Son Heung-Min. Técnico: Tae-Young Shin
Opinião: Um jogo que mais uma vez o vídeo decidiu. A partida foi bem equilibrada no início com a Coreia do Sul tentando atacar e a Suécia dando o troco na mesma moeda. Aos poucos, os suecos ganhavam terreno e criaram boas chances parando no bom goleiro Cho Hyun-Woo. No segundo tempo, a Suécia ganhou o duelo do meio-campo e o gol não tardaria a sair. E saiu num pênalti sofrido por Claessen que a principio passou batido, mas o juiz voltou atrás e confirmou a penalidade com Granqvist batendo e marcando. A Suécia ganhou com méritos e os coreanos até criam boas jogadas, mas o ataque é inoperante. Foi um bom jogo.
Nota do Jogo: 8  
Bélgica 3 x 0 Panamá
Estádio: Estádio Fisht, em Sochi (RUS)
Árbitro: Janny Sikazwe (Zâmbia)
Gols: Mertens, aos 2’/2T; Lukaku, aos 24’/2T e aos 30’/2T (BEL)
Cartões amarelos: Meunier, Vertonghen e De Bruyne (BEL); Davis, Bárcenas, Cooper, Murillo e Godoy (PAN)
Bélgica: Courtois; Alternierend, Boyata e Vertonghen; Meunier, Witsel (Chadli), De Bruyne e Carrasco (Dembélé); Mertens (Thorgan Hazard), Hazard e Lukaku. Técnico: Roberto Martínez
Panamá: Jaime Penedo; Michael Murillo, Román Torres, Fidel Escobar e Eric Davis; Gabriel Gómez, Armando Cooper, Aníbal Godoy, Edgar Bárcenas (Gabriel Torres) e Jose Luis Rodrigues (Ismael Diaz); Blas Pérez (Luis Tejada). Técnico: Hernán Darío Gómez. 

Opinião: Uma partida bem agradável que não foi exatamente um monólogo belga contra os panamenhos. Embora os belgas tivessem transformado o goleiro Penedo no melhor em campo no primeiro tempo, tiveram alguma dor de cabeça com os contra-ataques panamenhos. No segundo tempo, todavia, o golaço de Mertens desmontou por completo o esquema panamenho que ainda teve chance de empatar numa bola de Murillo que Courtois fechou o canto e defendeu. Aí o castigo veio a galope com dois gols de Lukaku, o primeiro de cabeça e o segundo com um toquinho genial. Uma vitória justa pelo melhor volume de jogo dos belgas.
Nota do Jogo: 8
Tunísia 1 x 2 Inglaterra
Estádio: Arena Volgogrado, em Volgogrado (RUS)
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Gols: Harry Kane, duas vezes (ING) e Ferjani Sassi (TUN)
Cartões amarelos: Kyle Walker (ING)
Tunísia: Mouez Hassen (Ben Mustapha); Dylan Bronn, Syam Ben Youssef, Yassine Meriah e Ali Maàloul; Ellyes Skhiri, Fakhreddine Ben Youssef, Ferjani Sassi, Anice Badri e Naim Sliti (Mohamed Ben Amor); Wahbi Khazr (Saber Khalifa). Técnico: Nabil Maaloul. 
Inglaterra: Jordan Pickford; Kyle Walker, John Stones e Harry Maguire; Kieran Trippier, Jordan Henderson, Jesse Lingard (Eric Dier), Dele Alli (Ruben Loftus-Cheek) e Ashley Young; Raheem Sterling (Marcus Rashford) e Harry Kane. Técnico: Gareth Southgate

Opinião: Um jogo bastante equilibrado. A Inglaterra começou bombardeando a defesa tunisiana e transformando Hassen na estrela do jogo com três grandes defesas. No entanto, depois de outra grande defesa do goleiro na cabeçada de Stones, Kane pegou o rebote e abriu o placar para os ingleses. Pra tristeza dos tunisianos, o goleiro caiu de mau jeito no lance e machucou o ombro sendo substituído por Mustapha. Tudo indicava uma goleada inglesa, mas Kyle Walker foi juvenil ao descer a mão no atacante Ben Youssef dentro da área e deu um pênalti de graça pra Tunísia que Sassi bateu e empatou. O segundo tempo teve uma Inglaterra desesperada e uma Tunísia satisfeita com o empate até que em uma vacilada num escanteio morto, Kane cabeceou no canto e deu a vitória pra Inglaterra no finalzinho do jogo.  Uma partida boa de se ver apesar da queda de ritmo no segundo tempo.
Nota do Jogo: 8                  

Até a próxima, pessoal.

domingo, 17 de junho de 2018

Súmulas da Copa do Mundo de 2018 e Opiniões Pessoais

Boa noite a todos do Só Súmulas.

Estou liberando agora as fichas técnicas e as opiniões dos jogos do quarto dia da fase de grupos da Copa do Mundo de 2018.

Vamos a elas.

Costa Rica 0 x 1 Sérvia
Estádio: Arena Samara, em Samara (RUS)
Árbitro:
 Malang Diedhiou (Senegal)
Gols: Kolarov (Sérvia)
Cartões amarelos: Francisco Calvo e David Guzman (COS); Branislav Ivanovic e Aleksandar Prijovic (SER)
Costa Rica: Keylor Navas; Johnny Acosta, Giancarlo González e Óscar Duarte; Cristian Gamboa, Bryan Ruiz, Celso Borges, David Guzmán (Daniel Colindres), Johan Venegas (Christian Bolaños) e Francisco Calvo; Marco Ureña (Joel Campbell). Técnico: Óscar Ramírez. 
Sérvia: Vladimir Stojkovic; Branislav Ivanovic, Nikola Milenkovic, Dusko Tosic e Aleksandar Kolarov; Luka Milivojevic, Nemanja Matic, Dustan Tadic (Antonio Rukavina), Adem Ljajic (Filip Kostic) e Sergej Milinkovic-Savic; Aleksandar Mitrovic (Aleksandar Prijovic). Técnico: Mladen Krstajic

Opinião: Um jogo medonho. Poucas chances de gol para ambas as equipes e muitos passes errados com a pobre bola sendo maltratada o tempo todo. Só pra não dizer que não houve eventos dignos de nota, teve o belo gol de falta do Kolarov no ângulo e a confusão lamentável no fim do jogo provocado por um membro da comissão técnica da Costa Rica que segurou a bola para Matic não cobrar rapidamente no melhor estilo “Segunda Divisão do futebol gaúcho”. Felizmente, os outros membros deste grupo E não fizeram grande coisa o que atenua um pouco este jogo.

Nota do Jogo: 5    

Alemanha 0x1 México
Local: Estádio Luzhniki, em Moscou (RUS)
Árbitro: Alireza Faghani (IRA)
Gols: Hirving Lozano aos 35’/1T (México)
Cartões amarelos: Thomas Müller, Mats Hummels (Alemanha), Héctor Moreno, Héctor Herrera (México)
Cartões vermelhos: 
nenhum
Alemanha
Manuel Neuer; Joshua Kimmich, Mats Hummels, Jérôme Boateng e Marvin Platternhart (Mario Gomez aos 34’/2T); Sami Khedira (Marco Rreus aos 16’/2) e Toni Kroos; Thomas Müller, Mesut Özil e Julian Draxler; Timo Werner (Julian Brandt aos 41’/2T). Técnico: Joachim Löw
México
Guillermo Ochoa; Carlos Salcedo, Hugo Ayala, Héctor Moreno e Jesús Gallardo; Héctor Herrera e Andrés Guardado (Rafael Marques aos 29’/2T); Miguel Layún, Carlos Vela (Edson Alvarez, 13’/2T) e Hirving Lozano (Raúl Jiménez aos 21’/2T); Javier Chicharito Hernández. Técnico: Juan Carlos Osorio
Opinião: Uma partida bem disputada e emocionante do inicio ao fim. A Alemanha tomou a iniciativa do jogo e atacou, atacou e atacou sem cessar. O México, por sua vez, contra-atacou, contra-atacou e contra-atacou incessantemente e num desses contra-ataques, saiu o gol da vitória feito por Hirving Lozano. No segundo tempo, o técnico Juan Carlos Osorio substituiu errado e a Alemanha foi pra cima de vez, mas seus atacantes pecaram nas finalizações. Uma merecida vitória mexicana que quebrou um longo tabu em Copas do Mundo de jamais vencer os alemães. A primeira vez a gente não esquece.

Nota do Jogo: 9    

Brasil 1 x 1 Suíça
Estádio: Arena Rostov, em Rostov-On-Don (RUS)
Árbitro:
 César Ramos (México)
Gols: Coutinho (BRA); Zuber (SUI)
Cartões amarelos: Casemiro (BRA); Lichtsteiner, Schär, Behrami (SUI)
Brasil: Alisson; Danilo, Miranda, Thiago Silva e Marcelo; Casemiro (Fernandinho), Paulinho (Renato Augusto) e Coutinho; Willian, Neymar e Gabriel Jesus. Técnico: Tite
Suíça: Sommer; Lichtsteinen (Michael Lang), Manuel Akanji, Schär e Ricardo Rodríguez; Valon Behrami (Denis Zakaria), Granit Xhaka, Xherdan Shaqiri, Blerim Dzeimaili e Steven Zuber; Haris Seferovic (Breel Embolo). Técnico: Vladimir Petkovic

Opinião: Outro jogo duro. Duro de assistir. Nem mesmo o golaço de Philippe Coutinho com um belo chute em curva fez acordar um letárgico Brasil que nada mais fez de importante em campo. A Suíça conseguiu empatar no início do segundo tempo com um gol de cabeça de Zuber e também nada fez de relevante em campo. O jogo teve muita marcação e pouca técnica. Quem apanhou foi a bola.   

Nota do Jogo: 4

Até a próxima, pessoal.

sábado, 16 de junho de 2018

Súmulas da Copa do Mundo de 2018 e Opiniões Pessoais

Boa noite a todos do Só Súmulas.

Estou liberando aqui a vocês as fichas técnicas e minhas opiniões dos jogos do terceiro dia da Copa do Mundo que está em sua fase de grupos.

Vamos a eles.

França 2 x 1 Austrália
Local: Arena Kazan, em Kazan (RUS)
Árbitro: Andrés Cunha (URU)
Gols: Griezmann, aos 13’/2T e Pogba, aos 36’/2T (FRA); Mile Jedinak, aos 17’/2T
Cartões amarelos: Matthew Beckie, Joshua Risdon e Aziz Behich (AUS); Tolisso (FRA)
França: Hugo Lloris; Benjamin Pavard, Raphaël Varane, Samuel Umtiti e Lucas Hernández; N’Golo Kanté, Corentin Tolisso (Blaise Matuidi) e Paul Pogba; Ousmane Dembélé (Nabil Fekir), Kylian Mbappé e Antoine Griezmann (Olivier Giroud). Técnico: Didier Deschamps
Austrália: Mathew Ryan; Joshua Risdon, Mark Miligan, Trent Sainsbury e Aziz Behich; Mile Jedinak, Aaron Mooy, Matthew Leckie, Tom Rogic (Jackson Irvine) e Robbie Kruse (Daniel Arzani); Andrew Nabbout (Tomi Juric). Técnico: Bert van Marwijk 

Opinião: Foi o jogo onde a tecnologia fez a diferença. Em uma partida onde os franceses tomaram a iniciativa do jogo e tiveram boas oportunidades e os australianos se defendiam enquanto podiam faltando uma melhor concatenação no ataque, dois dos três gols do jogo saíram com a ajuda do vídeo. O primeiro da França feito pelo Griezmann em um pênalti existente que passaria batido se não fosse o vídeo e o segundo da França feito pelo Pogba onde a bola bateu no travessão e no chão dentro do gol confirmado também pelo vídeo. Vitória essa que quase foi pro espaço devido a um pênalti tolo de Umtiti que Jedinak bateu e guardou. A França venceu com méritos, mas ainda está coletivamente longe do ideal enquanto que na Austrália faltou um cara que pensasse o jogo na hora de atacar.

Nota do Jogo: 8      

Argentina 1×1 Islândia
Estádio: Spartak Stadium, em Moscou (RUS)
Árbitro: Szymon Marciniak (POL)
Gols: Sergio Agüero aos 19’/1T (Argentina), Alfred Finnbogason aos 23’/1T (Islândia)
Cartões amarelos: nenhum
Cartões vermelhos: 
nenhum

Argentina
Willy Caballero; Eduardo Salvio, Nicolás Otamendi, Marcos Rojo e Nicolás Tagliafico; Javier Mascherano e Lucas Biglia (Éver Banega aos 9’/2T); Maximiliano Meza (Gonzalo Higuaín aos 39’/2T), Lionel Messi e Ángel Di María (Cristian Pavón aos 30’/2T); Sergio Agüero. Técnico: Jorge Sampaoli
Islândia
Hannes Thor Halldorsson; Birkir Mar Saevarsson; Kari Amason, Ragnar Sigurdsson e Hordur Bjorgvin Magnusson; Johan Berg Gudmundsson (Rurik Gislason aos 18’/2T), Aron Gunnarsson (Ari Freyr Skulason aos 31’/2T), Emil Hallfredsson e Birkir Bjarnason; Gylfi Sigurdsson; Alfred Finnbogason (Bjorn Sigurdarson aos 44’/2T). Técnico: Heimir Hallgrisson
Opinião: Partida bem equilibrada e com um roteiro definido. A Argentina atacava e a Islândia defendia-se como pode e encaixava ótimos contra-ataques colocando em polvorosa a defesa portenha. Os argentinos saíram na frente com um belo gol do Kun Aguero e os islandeses empataram logo em seguida com Finnbogason aproveitando um rebote da zaga argentina. Na etapa final, a Argentina foi pra cima em busca da vitória, porém Halldorsson estava em tarde inspirada fazendo grandes defesas e se consagrou defendendo um pênalti cobrado por Messi. Resultado justo pela produção dos dois times e histórico pela Islândia ter marcado seu primeiro ponto em Copas do Mundo.

Nota do Jogo: 8

Peru 0x1 Dinamarca
Estádio: Arena da Mordóvia, em Saranks (RUS)
Árbitro: Baraky Gassama (GAM)
Gols: Yussuf Poulsen aos 14’/2T (Dinamarca)
Cartões amarelos: Tapia (Peru)
Cartões vermelhos: nenhum

Peru
Pedro Gallese; Luis Advíncula, Christian Ramos, Alberto Rodríguez e Miguel Trauco; Renato Tapia (Pedro Aquino aos 42’/2T) e Yoshimar Yotún; André Carrillo, Edison Flores (Paolo Guerrero aos 18’/2T) e Christian Cueva; Jefferson Farfán (Raúl Ruidiaz aos 40’/2T). Técnico: Ricardo Gareca
Dinamarca
Kasper Schmeichel; Henrik Dalsgaard, Simon Kjaer, Andreas Christensen (Zanka aos 36’/2T) e Jens Larsen; William Kvist e Thomas Delaney; Yussuf Poulsen, Christian Eriksen e Pione Sisto (Martin Braithwaite aos 22’/2T); Nicolai Jorgensen. Técnico: Age Hareide
Opinião: Uma partida bastante trepidante. O Peru mostrou uma incompetência fora do comum. Perdeu um pênalti com Cueva e um caminhão de chances durante o jogo. A Dinamarca pouco atacou, mas quando fez foi fatal. Um contra-ataque rápido e Yussuf Poulsen só teve o trabalho de tocar para o fundo das redes. A vitória foi um prêmio para os dinamarqueses pela eficiência nas finalizações.

Nota do Jogo: 8

Croácia 2 x 0 Nigéria
Estádio: Estádio de Kaliningrado, em Kaliningrado (RUS)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (BRA)
Gols: Etebo, contra, e Luka Modric (CRO)
Cartões amarelos: Ivan Rakitic (CRO); William Troost-Ekong (NIG)

Croácia: Danijel Subasic; Sime Vrsaljko, Dejan Lovren, Domagoj Vida, Ivan Strinic; Ivan Rakitic, Luka Modric, Ivan Perisic e Ante Rebic (Mateo Kovacic); Andrej Kramaric (Marcelo Brozovic) e Mario Mandzukic (Marko Pjaca). Técnico: Delic Zlatko

Nigéria: Francis Uzoho; Abdullahi Shehu, William Troost-Ekong, Leon Balogun e Brian Idowu; Onyinye Ndidi, Oghenekaro Etebo e John Obi Mikel (Simy); Alex Iwobi (Ahmed Musa), Victor Moses Odion Ighalo (Kelechi Iheanacho). Técnico: Rohr Gernot

Opinião: Um jogo pobre em emoções. Os torcedores até saíram no lucro com a marcação dos dois gols da Croácia que não mostrou grande coisa no jogo. A Nigéria bem que tentou jogar, mas tropeçou nas próprias pernas e entregou os dois gols de presente pros croatas com um infeliz gol contra de Etebo e um pênalti grotesco de Troost-Ekong em Mandzukic que Modric bateu e converteu fazendo o gol de número 2400 da história das Copas. Os dois times terão muito trabalho para conseguir algo mais nesta Copa embora a Croácia tenha saído na frente do grupo.   

Nota do Jogo: 6
   
Até a próxima.